jusbrasil.com.br
5 de Agosto de 2021

"Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles": isso é possível?

A resposta de quem trabalha nas prisões.

Silvimar Charlles, Bacharel em Direito
Publicado por Silvimar Charlles
há 10 meses

E aí pessoal! Tudo certinho?

O Artigo dessa semana traz um relato de algo que aconteceu recentemente ao chegar para trabalhar (na cadeia). Depois passar pelos procedimentos de segurança, direcionei-me para o pavilhão que trabalharia naquele dia, quando adentro o local onde estão os custodiados para fazer o "confere", contagem numeral e nominal dos presos. Já na primeira cela ouço alguém dizer: "Seu Silvio, Seu Silvio, Hebreus 13:3, Hebreus 13:3" quando olho para identificar quem falara comigo, era ele, vulgo "Twister" ex-traficante de drogas, preso há mais de 05 anos que se convertera ao Cristianismo na prisão. E ele continuou "esse versículo é para o senhor, Hebreus 13;3". Embora a expressão me parecesse familiar, fui pesquisar e lá encontrei em Hebreus, um dos 27 livros do Novo Testamento, no capitulo 13, versículo 03 está escrito "Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo". Daí um pergunta se impõe: isso é possível?

Como fui parar na prisão?

De antemão, é importante saber como vim parar na prisão (como servidor público). Depois de viajar por vários estados (SE, AL, PE, CE, SP, RS) fazendo provas de concursos públicos, obtendo aprovações inclusive entre as primeiras colocações, entretanto, não fui convocado. Acho que não era para ser... O Divino (ou o Universo) tinha (e acredito que ainda tenha) outros projetos para mim... Eu conto tudo (AQUI).

O Concurso de Reportagem.

Também já contei aqui no Jusbrasil (AQUI) como fui vencedor em um concurso de Reportagem, o "Repórter do Bem" ao mostrar a realidade, para mim até então desconhecida, de algumas cadeias brasileiras. Duvidam? Acessem o link.

A profissão Agente Penitenciário.

Também contei como é ser Agente Penitenciário (antiga nomenclatura) após um verdadeiro raio-x que um portal de notícias fez do Sistema Penitenciário brasileiros a época, ouvindo esses servidores em todos os estados. Os relatos foram surpreendentes. (AQUI).

A Polícia Penal.

Também contei (AQUI) quem ganha com a criação da mais nova Polícia brasileira, a Polícia Penal, após a promulgação da Emenda Constitucional 104 que além de dar essa nova nomenclatura aos servidores penitenciários atribuiu-lhes a responsabilidade da segurança nos estabelecimentos penais no texto constitucional.

A partir das vivências diárias com as pessoas privadas de liberdade, percebi que são histórias e histórias, por isso, decidi escrever sobre o dia a dia na prisão.

A Assistência Religiosa na Prisão.

Contei sobre a importância da Assistência Religiosa (AQUI) para aqueles que estão privados de liberdade. No contato, quase que diários, é possível perceber a mudança e a transformação daqueles que se apegam em algo maior. Certamente, as cadeias brasileiras só não estão piores por conta dessa mensagem de amor, fé em esperança levada pelos religiosos.

A carta que recebi de um preso.

Isso mesmo! Para minha surpresa (positiva) recebi uma carta de um preso que escrevia em suas "Memórias do Cárcere" sobre a experiência de está privado de liberdade e sobre pessoas que marcaram sua passagem pela cadeia. Escrevi um Artigo (AQUI).

O Que Aprendi Trabalhando na Cadeia?

Depois de tantas experiências, decide escrever sobre "O Que Aprendi Trabalhando na Execução Penal" (AQUI). O Artigo evoluiu para uma palestra que hoje faz parte de um projeto, O Projeto Diálogos Pelo Brasil, que leva a discussão do encarceramento e suas nuances, a partir da vivência prática e dados estatísticos, para a sociedade civil organizada, buscando desconstruir estereótipos sobre as prisões e a execução penal.

Deixa de enrolação Silvimar! Vai responder ou não a pergunta do título?

Não há um consenso sobre a autoria do livro de Hebreus, entretanto, está claro a intenção do autor em instruir aqueles que professavam a fé no filho de Deus para terem um padrão de comportamento diferenciado dos demais daquela sociedade, lembrando-se inclusive dos notadamente "esquecidos". Como Policial Penal posso dizer que É POSSÍVEL lembrar dos presos como se estivesse presos com eles. Então você é bom né Silvimar? Definitivamente NÃO! O maior homem que já pisou nessa terra disse: "Ninguém há bom, senão um, que é Deus". Apenas, cumpro o meu papel enquanto personificação do Estado (Teoria do Órgão) na função de custodiar pessoas privadas de liberdade sem tomar para si os sentimentos da sociedade. E por que Twister falou que aquele versículo para o Policial Penal? Talvez ele enxergue no servidor um comportamento de quem está de um lado das grades que gostaria de ser tratado de modo semelhante se estivesse do outro: com dignidade.

Gostaram? COMENTEM

Esse assunto é importante? COMENTEM

Qual a sua opinião? COMENTEM

O artigo é útil? É só um clique: RECOMENDEM

Um forte abraço e até a próxima!!!

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Gostei, Silvimar!! continuar lendo